vitamina K
Prescrita para todos os sexos e idades, pode tomar-se a qualquer hora do dia.
Não lhe são conhecidos efeitos secundários.

.complaining book: the almost return.

27.12.07
|!| A cena decorre numa grande superfície comercial, na loja de uma conhecida marca nacional, que dispõe aos seus clientes uma panóplia de produtos. Som, imagem, livros, tecnologia… está lá (quase) tudo.


Cliente 1: Boa tarde. Vinha trocar este voucher Rock in Rio (bilhete diário + relógio).
Funcionária: Boa tarde. Nós não trocamos bilhetes.
Cliente 1: Pois… acontece que foi um presente de Natal…


(Funcionário liga a um superior para confirmar…)


Funcionária: Compreendo, mas nós não podermos mesmo trocar. Aliás, foi informada disso no acto da compra.
Cliente 1: Peço desculpa, mas não fui. Não me informaram de nada!
Cliente 2: Olhe que não informaram mesmo! Foi adquirido na minha presença, sem saber que era um presente para mim.
Funcionária: Lamento, mas não pode ser…
Cliente 2: Mas não podem porquê?! Ainda está embalado; o evento ainda não decorreu; têm ali mais à venda e este despacham-no de certeza!
Funcionária: Pois, mas nós não trocamos bilhetes.
Cliente 2: Ok, a vossa política é essa… ora, como eu não concordo, quero o Livro de Reclamações s.f.f.


(Funcionária faz nova chamada…)


Funcionária: Aguardem um momento s.f.f.


(Cerca de 5 minutos depois, os cliente são chamados à parte…)


Gerente: Vamos abrir uma excepção… e trocamos o voucher.
Cliente 2: Olhe, segundo a sua colega, é habitual os clientes serem informados. Acontece que tal não aconteceu… e mesmo que tivesse acontecido, deveriam aceitar a troca na mesma. Além disso, estamos a falar de um espectáculo que ainda está a uns bons meses de distância!


O efeito que três pequenas palavras fazem! Uma funcionária simpática. Dois clientes calmos. Um gerente nervoso. Uma reclamação pacifica. Situação resolvida.
Read On 0 (im)Pacientes

.méni méri cristas.

23.12.07

|*| Aqui ficam mais algumas propostas para a quadra. Comecemos com uma boa dose de humor, seguida de dois pratos de música, ambos em português. O prato principal, composto pela genialidade de um músico leiriense, seguindo-se-lhe uma novidade, composta por um quarteto da cidade do lis.

Read On 1 (im)Pacientes

.bad news for christmas.

20.12.07
|*| Lamentavelmente, neste Natal não vai haver Presépio! A Vaca está louca e não se segura nas patas; os Reis Magos não podem vir porque os camelos estão no Governo; o burro está a treinar o clube de futebol com mais sócios em Portugal; a Maria e o José foram meter os papéis pró rendimento mínimo; a ASAE fechou o estábulo por falta de condições e o tribunal de menores ordenou a entrega do menino Jesus ao pai biológico…


Perante tamanho rol de más noticias, aqui fica uma música para a animar. Ah… e já agora: MÉRI CRISTAS ;)

Read On 5 (im)Pacientes

.?.

18.12.07
|#| “Question Mark” é o nome do mais recente trabalho dos leirienses Kyoto, que pode ser conhecido na próxima sexta-feira, dia 21 de Dezembro, 23h00, no Bar Alpha, Maceira, Leiria. “Coming home”, “Inside”, “Release”, “Get it all”, “Uncurl”, bem como o tema que dá nome ao EP, são alguns dos temas que se poderão ouvir, depois de alguns meses em estúdio


A banda, que se prepara ainda para lançar um novo sitio na Internet, é constituída por Nuno “Rancho” Jerónimo (voz e guitarra), Tiago Domingues (bateria), Marco Varalonga (baixo) e Micael “Micas” Maldonado (guitarra).


Com três anos de “estrada”, tem no seu currículo o primeiro lugar na edição de 2006 do Festival Bandas de Garagem da Golpilheira, Batalha.
Read On 0 (im)Pacientes

.their back.

18.12.07
|#| Good news para os fãs de Editors, sobretudo os que não puderam assistir ao concerto do Pavilhão do Restelo, no passado mês de Novembro. Dias 2 e 3 de Abril, Lisboa e Porto, respectivamente, vão ouvir Smokers Outside The Hospital Doors, entre muitos outros temas de An End Has A Start, o seu último trabalho.


O ano de 2008 é ainda sinónimo de Rock in Rio. Desta vez EU VOU!
Read On 0 (im)Pacientes

.good mistakes.

15.12.07

|#| Há lá enganos do catano! Preparados para uma sessão de cinema, para ver a última grande produção de animação, eis que ao levantar os bilhetes, antecipadamente reservados, se lia: “Maldito Fado – Hélder Moutinho”. (Pânico). Fado?!


Bem, já que estamos aqui, bora lá ver…


A belíssima guitarra portuguesa e as violas de fado e baixo começaram por desfilar no início do espectáculo, às quais se juntaram a voz de Hélder Moutinho. Entretanto, chegaram a viola clássica, o acordeão e o percussionista… Uma mistura de sons que, para além do fado, passaram também pelo jazz, numa viagens por várias culturas que fazem parte da história do povo português. Um atrevimento, segundo Hélder Moutinho, nascido no seio de uma família de fadistas.


“São poucos, mas bons” comentou o fadista já no final do espectáculo, que terminou com uma miscelânea de performances individuais. Guitarra clássica, acordeão e percussão ajudaram a aquecer a noite gélida.


É caso para dizer que foi uma valente “ferradela” nos hábitos de consumo norte-americano. Fado é bom e recomenda-se... dos 8 aos 80. Sim, porque para quem pensa que é música de "cotas", os sete elementos em palco eram todos muito novos! Oiça, vai ver que não se arrepende...

Read On 1 (im)Pacientes

.net addiction.

13.12.07
|| Os portugueses estão entre os consumidores internacionais que mais horas diárias dedicam à Internet, mas o tempo de leitura de jornais e revistas fica longe dos níveis registados em outros países, revelou uma pesquisa.


Em média, os portugueses passam cinco horas diárias a navegar na Internet, o que significa que um em cada três portugueses utiliza serviços on-line cerca de 11 vezes ao dia, segundo os mesmos dados. Os valores portugueses só são ultrapassados pelos EUA, onde
tempo que se passa on-line ultrapassa as cinco horas durante a semana e as seis aos fins-de-semana.


Quanto aos jornais, os portugueses reservam em média, durante a semana, 36 e 38minutos diários para ler jornais e revistas, respectivamente. Com uma média de uma hora diária, o Reino Unido e o Canadá são os países que registam o maior tempo de leitura de jornais.

Read On 0 (im)Pacientes

.ka_entre_nos_01.

12.12.07
|| Estamos no Euro! Viva Portugal! Viva o Luiz Filipe! Viva o Ronaldo e companhia! O objectivo está cumprido, mesmo com assobios e indignações à mistura.


Em Leiria, frente à Arménia, valeram os três pontos. Quanto à exibição… a indignação do público fez-se ouvir alto e bom som. “Isto é que é apoiar a Selecção?”, insurgiu-se um apoiante mais fervoroso, com tamanho apupo. O caso não era para menos: vantagem mínima sobre a Arménia (1-0) e o prodigioso Ronaldo de “costas voltadas” para o jogo. Mais parecia que o frio nocturno lhe gelava o talento. No final, missão cumprida. Estávamos a um ponto e 90 minutos do objectivo.


Seguiu-se o derradeiro embate, no Dragão. Salvou-se a qualificação (0-0, com a Finlândia), mas novamente com uma exibição que ficou aquém do exigido pelo público. Talvez por isso, o seleccionador não tenha gostado das perguntas dos jornalistas e tenha abandonado a conferência de imprensa, qual sargentão que se despede da parada.


Portugal também disse adeus à fase de qualificação e segue agora rumo à Suíça/Áustria. Depois da meia-final em 2000 e a final de 2004, que venha finalmente o “caneco”. Não é pedir muito, afinal de contas foi um senhor de bigode, que veio lá outro lado do Atlântico, que ajudou a subir-nos o ego. Se calhar é por isso que agora anda a “recolher o que semeou”…


Portugal jogou aquém do esperado? Pois… mas o importante não é a eficácia? Que o digam os gregos. Não foram eles que venceram em 2004 sem “jogar bonito”? E os italianos, actuais campeões do Mundo, não são conhecidos por praticarem um futebol muito táctico (mas eficaz)? Talvez tenha chegado a hora de sermos mais práticos.


O importante é que o campeonato da Europa de futebol voltará a contar com a presença de Portugal… ao contrário da Inglaterra. No entanto, “ká entre nós”, nem todos os atletas devem estar satisfeitos. Que o diga o guarda-redes Ricardo que não vai poder ser protagonista frente aos ingleses. Good news para estes últimos. Afinal, falhar o Euro não é assim tão mau.


Read On 1 (im)Pacientes

.books.

10.12.07

Read On 0 (im)Pacientes

.let him play.

6.12.07

|!| A primeira vez que o vi jogar, impressionou-me a “explosão” e o carinho com que tratava a bola. Chegou miúdo, mas entretanto cresceu. Como atleta, os dias poderiam ter sido melhores. Jogou, deu o salto, lesionou-se e deram-lhe a carreira por terminada. Mas está de volta…


“Eu já estou em grande. Na Madeira joguei bem, apesar de jogar pouco tempo. O golo sai de um remate meu. A explosão a 100 por cento está quase. E, para os que se riem destas palavras, lembrem-se que também riram há uns meses quando eu mancava. Riam! Faz bem à vida!”


Chama-se Pedro, mas no mundo do futebol é conhecido por Mantorras. Veio de Angola e quer voltar a sorrir. O optimismo é legítimo. Quem não se recorda dos “golos à Mantorras” nos últimos minutos? Se valeu ponto sem estar a 100%, agora, recuperado, a cenário poderá ser ainda mais risonho. Será 2008 o ano da “gazela angolana”?

Read On 2 (im)Pacientes

.reckoner.

3.12.07
|#| Provavelmente a melhor dos últimos tempos. Simplesmente mais uma obra-prima de uma das melhores de sempre. “In Rainbow”, o último trabalho, dá de facto um colorido diferente aos sons e às melodias que fazem da música uma das melhores formas de arte à face da terra. “Reckoner” é a música, Radiohead a banda.

Read On 0 (im)Pacientes

.welcome to suiss/austrian restaurant.

2.12.07
|º| Um menu especial – A. Na Suiça, no próximo mês de Junho, a selecção portuguesa vai ter há sua espera uma escolha gastronómica aprimorada. Queijo da casa, presunto de Praga e, a abrir a refeição, um belo “perú” (Turkey).


Assim sendo, um repasto para ser feito tranquilamente, tal como a digestão. Relativamente aos restantes menus, de referir que o C será seguramente o mais difícil de digerir – Itália, França, Holanda e Roménia.


Para a segunda fase, Portugal e Turquia (A), Alemanha e Croácia (B), Holanda e Itália (C), Suécia e Rússia (D), salvo alguma surpresa, pródiga nestas provas, deverão ser as selecções a qualificarem-se para a fase seguinte.
Read On 3 (im)Pacientes

.fonix 4 phone-ix.

30.11.07

|| «Uma chamada fica-me a 4,92 cêntimos, independentemente da rede ou da hora?! Fonix!!!»


Desculpe, não é bem assim… mas quase. Escreve-se Phone-ix, tem o prefixo 922 e promete revolucionar o mundo das telecomunicações em Portugal. Segundo a nova operadora, que conta com o apoio da TMN, esta nova oferta no mercado “aproxima as pessoas, com a confiança e segurança que os CTT lhe oferecem”.


Apesar do preço ser apelativo, não esquecer que este valor é taxado a cada 30 segundos –10 segundos após o 1º minuto (30+30+10). Ainda assim, 9,84 cêntimos/minuto, é um valor mais baixo que os 11,99 cêntimos praticados pela Vodafone Directo ou Rede 4.


Com o Natal à porta, esta é uma boa altura para cativar clientes, pelo que se aguardam as respostas das três operadoras nacionais. Ou apresentam um serviço semelhante, ou começam a perder clientes.

Read On 0 (im)Pacientes
Read On 2 (im)Pacientes

.against the canons.

18.11.07

|º| Ronaldo é nome de craque. O público adora-o. Há uns anos era conhecido por “fenómeno”, vestia o “9” e era o terror dos adversários da selecção brasileira. Actualmente, o apelido é associado a um jovem talento português. O Estádio Municipal de Leiria teve a honra de o receber – Portugal x Arménia (1-0) – onde desfilou com a nova endumentária lusa. E assim o Euro 2008 ficou mais perto. Obrigado Cristiano (& companhia)!
Read On 3 (im)Pacientes

.beatsound loverboy.

15.11.07

|#| Histórias de Londres e da noite contadas na primeira pessoa. Slimmy é português mas apenas no BI. “Beatsound Loverboy”, o primeiro álbum tem ambição internacional. A presença na banda sonora da série “C.S.I Miami” é disso exemplo. Aqui fica uma amostra, a música que dá nome ao seu trabalho de estreia…

Read On 2 (im)Pacientes

.everyone's concern.

12.11.07
|| Hoje deu gozo ver, folhear e ler o Metro. Uma capa que obriga o leitor a deter-se… e a levar um exemplar. O tema é cada vez mais actual e o diário gratuito fez questão de lhe dedicar a quase totalidade das suas 24 páginas. Um bom exemplo de serviço público (mesmo grátis!)…

Trabalhei para transmitir, o melhor que podia, uma versão acessível da verdade que está agora a ser apresentada por cientistas de todo o mundo, sobre o que se está a passar em consequência do choque entre a civilização humana e o sistema ecológico do planeta Terra...


Dentro de alguns anos, a próxima geração vai colocar-nos uma de duas questões. Ao observarem as nossas acções e inacções de agora, irão perguntar: Em que estavam vocês a pensar? Por que razão foram surdos, obtusos e cegos em relação às consequências do que estava a ser feito à verdade, ao que se estava a desenrolar? Ou então irão colocar uma questão, que preferiria que eles pusessem e que eu acredito, verdadeiramente, que vão perguntar. Quero que olhem para trás, para o ano de 2007, no início deste século, e perguntem sobre nós: De que forma encontraram a coragem moral para se levantar e enfrentar a crise que tantos disseram ser impossível de resolver? Como conseguiram aumentar o nível de consciência sobre a verdade que se colocara perante o mundo? Como encontraram coragem para agir?


Actualmente temos tudo o que necessitamos para nos certificarmos de que a pergunta que os nossos filhos irão colocar será a segunda. E à medida que tentam responder, quero que eles digam que nós tivemos a consciência de que tínhamos todas as ferramentas necessárias para salvar a integridade ecológica do nosso planeta, excepto a vontade política. Mas que então compreendemos que nas democracias livres... por todo este mundo, a vontade política é uma energia renovável.


Albert A. Gore
Prémio Nobel da Paz
Read On 3 (im)Pacientes

.homesickness.

10.11.07
|#| Chamam-lhe a rainha da morna e aos 66 anos continua a espalhar a magia do povo cabo-verdiano. “Saudade” notabilizou-a. “Rogamar” é o seu último trabalho. Cesária Évora é a voz.

Read On 1 (im)Pacientes
Read On 1 (im)Pacientes

.going to a town.

6.11.07
|#| ...called Lisbon, to listen one of the best songwriters ever. Today live at Coliseu dos Recreios.

Read On 2 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes

.christmas vs business vs christmas.

1.11.07
|!| Primeiro dia do mês de Novembro. Cinquenta e quatro dias para a noite de Natal… Dizem que é quando o Homem quiser, neste caso, começou quase dois meses antes. Será?!


“A crise” assim o obriga. Há que vender, quanto mais cedo, melhor, ou, pelo menos, colocar nos escaparates os melhores produtos, aliciando, assim, os potenciais clientes. O frenesim das compras começou. Está aí o Natal… Será?!


O Natal é mais dos que os enfeites… O Natal é mais do que as prendas... O Natal é mais do que a “simpatia” própria da época… Porque há presentes com embrulhos menos espampanantes, mas com conteúdos que valem mais do que quaisquer objectos que uma maior, ou menor, quantia de dinheiro podem comprar… Porque há valores que a época desperta para o resto do ano… É tudo uma questão de os procurar, debaixo da “árvore” da vida…
Read On 2 (im)Pacientes

.beast(s).

26.10.07

A academia leiriense saiu à rua para mostrar de que fibra é feita. Dura Praxis, Sed Praxis – a praxe é dura, mas é praxe! – foi o mote para o ritual, que contou com “banda sonora”.
Read On 1 (im)Pacientes

.heima.

25.10.07
|#| No dia 5 de Novembro, o conhecido grupo islandês Sigur Rós edita dois novos trabalhos: o primeiro deles chama-se Heima (quer dizer “em casa”), um DVD que inclui um documentário sobre a tour que os islandeses realizaram no seu país durante 2006/2007. O filme é realizado por Dean Deblois [nomeado para um Óscar pela realização de Lilo & Stitch (2002)].


No mesmo dia também será lançado Hvarf-Heim, um duplo CD, em que o primeiro deles inclui quatro temas, três inéditos e uma revisão da música Von. No segundo, estarão seis temas gravados ao vivo ao longo das diferentes digressões.


Ver trailler.
Read On 0 (im)Pacientes

.freeze it.

23.10.07
Read On 2 (im)Pacientes

.remember.

21.10.07
Read On 3 (im)Pacientes

.greatfull, powerfull... beautiful.

20.10.07

|º| São de Fátima e continuam a dar que falar. Uma equipa, na verdadeira acepção da palavra. Primeiro o Santa Clara, depois a Académica, o Porto e agora o Sporting. Todos sofreram golos da equipa de Rui Vitória, que tem feito jus ao apelido.


Na imagem, o então capitão Morgado festejava a da subida a uma liga profissional – Liga Vitalis. Garra é o cartão de visita desta equipa, que está aí para dar que falar. Não só na Taça da Liga, como nas restantes provas – Liga Vitalis e Taça de Portugal. Bravos!
Read On 0 (im)Pacientes

.intermitentes.

19.10.07
Read On 0 (im)Pacientes

.freedom.

17.10.07

|| Há um ditado que diz que “a liberdade de um termina onde começa a do outro”. Sempre me pareceu uma postura correcta, até há uns dias atrás, quando ouvi, de um advogado (!), que “a liberdade de um vive-se com a liberdade do outro”. Ora, nada mais… direito…

Read On 1 (im)Pacientes

.shine on.

16.10.07


Gosto de ti como quem gosta do sábado,
Gosto de ti como quem abraça o fogo,
Gosto de ti como quem vence o espaço,
Como quem abre o regaço,
Como quem salta o vazio,
Um barco aporta no rio,
Um homem morre no esforço,
Sete colinas no dorso
E uma cidade p’ra mim.


Gosto de ti como quem mata o degredo,
Gosto de ti como quem finta o futuro,
Gosto de ti como quem diz não ter medo,
Como quem mente em segredo,
Como quem baila na estrada,
Vestido feito de nada,
As mãos fartas do corpo,
Um beijo louco no porto
E uma cidade p’ra ti.


Enquanto não há amanhã,
Ilumina-me, Ilumina-me.
Enquanto não há amanhã,
Ilumina-me, Ilumina-me.


Gosto de ti como uma estrela no dia,
Gosto de ti quando uma nuvem começa,
Gosto de ti quando o teu corpo pedia,
Quando nas mãos me ardia,
Como silêncio na guerra,
Beijos de luz e de terra,
E num passado imperfeito,
Um fogo farto no peito
E um mundo longe de nós.


Enquanto não há amanhã,
Ilumina-me, Ilumina-me.
Enquanto não há amanhã,
Ilumina-me, Ilumina-me.


Pedro Abrunhosa, in Luz (ouvir aqui)
Read On 0 (im)Pacientes

.hillside on me.

10.10.07

Encosta-te a mim, nós já vivemos cem mil anos
encosta-te a mim, talvez eu esteja a exagerar
encosta-te a mim, dá cabo dos teus desenganos
não queiras ver quem eu não sou, deixa-me chegar.


Chegado da guerra, fiz tudo p´ra sobreviver
em nome da terra, no fundo p´ra te merecer
recebe-me bem, não desencantes os meus passos
faz de mim o teu herói, não quero adormecer.


Tudo o que eu vi, estou a partilhar contigo
o que não vivi, hei-de inventar contigo
sei que não sei, às vezes entender o teu olhar
mas quero-te bem, encosta-te a mim.


Encosta-te a mim, desatinamos tantas vezes
vizinha de mim, deixa ser meu o teu quintal
recebe esta pomba que não está armadilhada
foi comprada, foi roubada, seja como for.


Eu venho do nada porque arrasei o que não quis
em nome da estrada onde só quero ser feliz
enrosca-te a mim, vai desarmar a flor queimada
vai beijar o homem-bomba, quero adormecer.


Tudo o que eu vi, estou a partilhar contigo
o que não vivi, um dia hei-de inventar contigo
sei que não sei, às vezes entender o teu olhar
mas quero-te bem, encosta-te a mim.


Jorge Palma, in Voo Nocturno (videoclip)
Read On 1 (im)Pacientes

.black horse and the cherry tree.

7.10.07

|#| Adoptada 18 dias após ter nascido, por um físico e uma professora; privada de televisão e rádio durante 20 anos, devido à interferência que os aparelhos provocavam no seu irmão adoptivo, que sofria de problemas de audição, são apenas alguns dos momentos que marcaram a vida de Tunstall. Após este período a sua vida mudou… Conheceu a mãe biológica, que lhe falou do pai natural, um músico folk. Um contacto que estimulou KT Tunstall a coisas como esta…

Read On 0 (im)Pacientes

.state of fear.

6.10.07
|!| A propósito de uma leitura iniciada há uns meses – Estado de Pânico* – e relacionado com a mesma temática, aqui ficam mais dois apelos…


* Perito em misturar factos científicos e suspense, Michael Crichton escreve aquilo que se pode descrever como eco-thriller. Leva-nos da Islândia à Antártida, do deserto do Arizona a Paris, de Los Angeles às Ilhas de Salomão, para nos mostrar que o futuro próximo pode muito bem ser dominado por eco-terroristas que nos assustam com um grande não-problema: o aquecimento global. E que a espécie verdadeiramente ameaçada de extinção pode muito bem ser a espécie humana. Uma história alucinante do escritor mais lido no mundo.
Read On 0 (im)Pacientes

.you´re beautiful.

5.10.07

Raquel Tavares na XV Gala Central FM, 4 de Outubro, Fátima.
Read On 1 (im)Pacientes
Read On 4 (im)Pacientes

.lucky man.

3.10.07

|#| The Bitter Sweet Symphony guys are back! Depois de uma incursão a solo, Richard Ashcroft reuniu os companheiros e tudo mudou…


Oito anos depois os The Verve estão de regresso e já têm concertos agendados para os meses de Novembro e Dezembro, no Reino Unido. Por enquanto Portugal não está contemplado, no entanto, 2008 poderá representar uma visita.


Enquanto isso, aqui fica uma faixa retirada do seu último trabalho Urban Hymns (1997), do qual se destacam, entre outras, Bitter Sweet Symphony ou Drugs Don't Work.

Read On 1 (im)Pacientes

.are you not entertain.

1.10.07
|?| Da esquerda à direita, já todos (ou quase) aplaudiram a atitude de Pedro Santana Lopes na sua “meia entrevista” concedida à SIC. Sim senhor ex-ministro, é vergonhoso o sucedido, no entanto, “nada de novo debaixo do céu”.


Tratou-se de mais uma manobra de puro entertainmet, a fazer lembrar um verdadeiro circo romano. Na época, a melhor forma que o imperador tinha para evadir o povo dos problemas sociais, era entretê-lo com matanças, feras e gladiadores. Mudam-se os tempos, mudam-se os meios, mantém-se o espectáculo.


É certo que Mourinho é mais popular que Santana Lopes. Também é certo que poucos estariam interessados em ouvir a opinião deste último sobre o estado do nosso país, ainda assim, tomou uma atitude. Fica o exemplo: mais do que palavras, este país à beira-mar plantado precisa de quem aja... e não se fique apenas pelo entretenimento.


What we do in live, echoes in eternity
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 2 (im)Pacientes

.10.000.

21.9.07
|!| Dez mil visitas em quase dois anos. Muitas? Poucas? Whatever, é só mais um número e este mais um post
Read On 0 (im)Pacientes

.feel this.

18.9.07

|º| Dizem por ai que o futebol é “rei”... No capítulo de dinheiros públicos, e não só, que movimenta, confirma-se a supremacia. O tempo e o espaço dado nos órgãos de comunicação social são claramente esmagadores, relativamente a outras modalidades. Há, no entanto, por aí uns quantos nobres desconhecidos, da plebe, que chegam, em alguns casos, a pagar do próprio bolso para puderem praticar o desporto que mais gostam.


A esses desconhecidos, fica o exemplo, ao qual me curvo, para história do rugby, da primeira selecção nacional amadora a participar num campeonato do mundo da modalidade. Audazes e valentes como no tempo dos descobrimentos, meus senhores e minhas senhoras, são PORTUGAL…

Read On 0 (im)Pacientes

.fly so high.

17.9.07

|#| Um longo final de tarde a ver ballet. As luzes, as cores, os trajes, os movimentos, o empenho, a destreza… A fazer lembrar uma grande obra da “7ª arte”, realizada por Pedro Almodôvar. Para rever aqui.


Ver reportagem “O Lago dos Cisnes”.

Read On 0 (im)Pacientes

.so true.

14.9.07
|| Com o título «A Desgraça do Século», do professor universitário João César das Neves:

Este tempo sofre muitas desgraças, na guerra, ambiente, saúde, etc. Mas a maior de todas é acreditar nos contos de fadas. Essas lendas infantis são muito antigas e sucessivas gerações as narraram, mas todas sempre souberam que se tratava de fantasia. Este é a primeira época que realmente acredita nelas, criando terríveis efeitos sociais.


Os contos de fadas têm muitas personagens fictícias, mas as mais incríveis são... o príncipe e a princesa. São incríveis, porque aquilo que fazem no conto é sempre casar e viver felizes para sempre. Ora toda a gente que está casada sabe que não se consegue viver feliz para sempre. Esse desejo é, aliás, o maior obstáculo à construção da verdadeira felicidade. Os casais bem sucedidos, aqueles que se amam para sempre, não são sempre felizes. Vivem no meio de alegria e comunhão, mas também de ocasionais dúvidas e zangas, bastantes sofrimentos e desilusões. Amam-se sempre, mas muitas vezes com alguma infelicidade. Neste mundo nenhum ser humano consegue ser feliz para sempre, sobretudo a dois.


Dizer isto hoje é a suprema heresia, pois, com fé inabalável na televisão, este tempo acredita piamente nesse aspecto central dos contos de fadas. Os jovens hoje, livres de fazer o que quiserem, sentem direito a felicidade principesca. Passado o fogo inicial, perante o menor problema, obstáculo, desentendimento, concluem que se enganaram. Se não conseguem ser sempre felizes, então este não é o prometido parceiro encantado. Desfazem a união partindo esperançados para outra.


Os tempos antigos sabiam tudo sobre namoro, amor, paixão. Mas também sabiam que casamento era mais que contos de fadas. Casamento era família, futuro, estatuto, estabilidade. Construir um amor a dois, estabelecer uma casa, assegurar uma herança, perpetuar e educar uma prole dá muito trabalho. São coisas demasiado importantes para serem deixadas a fantasias. Havia muitos casais felizes, mas muitos mais casais sólidos. Nesses tempos um casamento não era um contrato que as partes podiam denunciar. Era um casamento.


A solução antiga estava longe de ser perfeita, gerando infidelidades, frustrações, recriminações. Mas evitava o descalabro actual. Porque a nossa crença nos contos de fadas criou um caos social de primeira grandeza. E, pateticamente, não reduziu as infidelidades, frustrações e recriminações. Só as tornou banais. Procuramos escondê-lo para podermos manter a fé nos sonhos, mas essa fé trouxe a desarticulação da família, com consequências sociais devastadoras.


A família é a célula-base da sociedade. Antigamente nunca se dizia isto, porque se vivia isto. Os princípios só são enunciados ao deixarem de ser respeitados. Quando a finalidade central deixou de ser a família para ser o conto de fadas, surgiu a desgraça do século. Chamamos "novos tipos de famílias" aos estilhaços resultantes dessa desgraça. O casamento passou a ser uma relação mais fluida que o vínculo laboral. Os casais habituaram-se a desligar a sua vida real do momentâneo sonho idílico. As crianças passaram a viver órfãs com pais vivos ou, pior, com demasiados pais.


O mais terrível é que a fé nos contos de fadas, além de minar os fundamentos da sociedade ocidental, não trouxe mais felicidade. Trouxe vidas decepadas, estraçalhadas, remendadas. Adultos desenganados, cínicos, apáticos, ou viciados, tacanhos, corruptos. Idosos desamparados, solitários, tristes. Nem a evidência da explosão da depressão, droga, crime e suicídio, apesar da prosperidade, nos fazem perceber que há algo de muito errado na nossa opção.


Há mais liberdade, mas não se vêem hoje mais pessoas felizes, mesmo que seja só por algum tempo. Há mais embriaguez, sofisticação, reivindicações, mas não mais felicidade. Antes, sem poder escolher, muitos aprendiam a ser felizes com o que tinham. Hoje, sonhando com o impossível, tantos sacrificam a felicidade realizável por sonhos enganadores. Não espanta que o tempo que acredita nos contos de fadas tenha sido aquele que criou um novo tipo de novela: o filme de terror.
Read On 3 (im)Pacientes

.toxic.

14.9.07

|!| Por causa desta badalada performance, surgiu uma não menos badalada reacção, sendo que ainda houve tempo para um ainda não se sabe se badalado “direito de resposta”. Enfim, mais um caso para “poluir” estações de televisão, rádios, Internet e afins…

Read On 0 (im)Pacientes

.we're all stuck out in the desert.

13.9.07
|#| Tem o apelido de outro grande songwriter – Rice – e vem de um país onde o kilt é indumentária obrigatória. Aos 23 anos Jonathan Rice é um dos melhores exemplos do que, à semelhança de Damien, um homem e uma guitarra conseguem fazer. «Further North» é o seu mais recente trabalho, do qual deixo aqui o single (ver título do post)…
Read On 0 (im)Pacientes

.radio(n)head.

10.9.07

|#| «Radiohead acabaram de gravar novo álbum». Uma surpresa, ou talvez não, para os fãs da de Tom Yorke e companhia. O ano de 2008 marca o regresso da banda britânica, que teve em «Ok Computer» (1997) o trabalho mais aclamado. O terceiro álbum da banda, depois de «Pablo Honey» (1993) e «The Bend» (1995), é, ainda hoje, considerado um dos melhores de sempre.


Enquanto não chega aos escaparates das lojas o sucessor de «Hail To The Thief» (2003), aqui fica «No Surprises», do álbum de 97...

Read On 0 (im)Pacientes

.looking for something… somewhere.

9.9.07
|#| «E como tão bem se escreve em português!», diria Pedro Abrunhosa. Há músicas que se ouvem “milhentas” vezes e só há “milhentésima primeira” é que a letra “salta à vista”. «Estou Além», de António Variações, é um exemplo que, curiosamente, se encaixa com o conteúdo desta posta
Não consigo dominar
Este estado de ansiedade
A pressa de chegar
P'ra não chegar tarde

Não sei do que é que eu fujo
Será desta solidão
Mas porque é que eu recuso
Quem quer dar-me a mão


Vou continuar a procurar
A quem eu me quero dar
Porque até aqui eu só
Quero quem, quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu quero só quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu ninca vi


Esta insatisfação
Não consigo compreender
Sempre esta sensação
Que estou a perder


Tenho pressa de sair
Quero sentir ao chegar
Vontade de partir
P'ra outro lugar


Vou continuar a procurar
A minha forma
O meu lugar
Porque até aqui eu só
Estou bem aonde não estou
Porque eu só quero ir
Aonde não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou
Porque eu só quero ir
Aonde não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou
Read On 0 (im)Pacientes

.6000 km latter.

8.9.07

» Praça de São Pedro, Vaticano, Roma, Itália.
Read On 0 (im)Pacientes

.wake up.

28.8.07
|| Porque a vida são dois dias… e um, é pr´acordar… (Pedro Abrunhosa)
Read On 3 (im)Pacientes

.wpp2007.

23.8.07

|©| Estão entre nós os registos vencedores do prestigiado concurso internacional World Press Photo 2007. Uma excelente oportunidade para ver as imagens que foram notícia.
Read On 0 (im)Pacientes

.where are you.

21.8.07

|.| Fala-se em liberdade de expressão e em hábitos de leitura. O que se vê, são atitudes a roçar a censura. Dois títulos, o mesmo desfecho. Jornalismo é o que se trata. Desporto é o que se escreve (escrevia).


Diário Desportivo, como os restantes títulos gratuitos, trazia a esperança num reverter da tendência dos hábitos de leitura dos portugueses. Estes lêem menos, nomeadamente as gerações mais novas, sobretudo no que toca a imprensa escrita. O poder de compra é, na generalidade, o mais apontado para não se adquirir, e por conseguinte ler, um jornal. Ser à borla sai mais barato e, na maioria dos casos, até é entregue na mão do leitor. Só mordomias…


No dia 17 do corrente mês, os accionistas do projecto alegadamente desistiram do mesmo. É pena, tendo em conta que, além de ser gratuito, abordava um tema de massas. Por outro lado, apresentava-se como um concorrente sério A Bola, Record e O Jogo. No final, quem ficava a ganhar era o leitor, a sua bolsa e, em última instância, o País.


Dois dias volvidos, seguiu-se o site Sportugal. Ao revelar dados referentes ao processo Apito Dourado, alegadamente o desportivo terá “brincado com o fogo”.


A imprensa parece viver cada vez mais cercada. O jornalismo isento e objectivo parece cada vez mais utópico. Estão a formar-se comunicadores e jornalistas nas universidades para passarem que mensagem? Onde pára o jornalismo de investigação, que vai ao fundo das questões, contra ventos e marés, dando ao leitor/ouvinte/telespectador os factos tal como eles são?


Retenho uma frase, “grafitada” numa parede das ruas do Porto, e que surge nesta reflexão: “foste um bom robot hoje?”

Read On 3 (im)Pacientes

.teardrop.

15.8.07
|#| Uma sugestão musical para ilustrar um dia de pleno Agosto que mais parece de Inverno. Teardrop é um dos mais conhecidos temas dos Massive Attack. Para relaxar, portanto…


Read On 1 (im)Pacientes

.mail complaining.

14.8.07

|!| Será possível que o processo de envio de uma encomenda, à cobrança, demore quatro meses, desde o momento em que é depositada, pelo remetente, nos CTT e esta é entregue, pela mesma entidade, ao destinatário? Resposta: sim, é possível!


Pior do que a demora, que ainda decorre, já que não se vislumbra solução, é o aparente alheamento da estação, da dita empresa, da área de residência do destinatário. Alegadamente o carteiro responsável pela entrega, ter-se-á esquecido de efectuar a cobrança… Questão: será que, tenha sido este, ou não, o problema, são necessários mais de 120 dias para averiguar e solucionar?


Já a estação da área de residência do remetente, que é a que menos culpa tem no cartório, tem sido a mais empenhada neste processo. Nota: estamos a falar da mesma empresa. A última atitude foi a de, sem que o remetente o solicitasse, ainda que este estivesse determinado em fazê-lo, solicitar o preenchimento do Livro de Reclamações!


Fim à vista?

Read On 0 (im)Pacientes

.green winners.

12.8.07
Read On 4 (im)Pacientes

.foundations.

10.8.07
|#| Na base de um bom artista está o talento. Kate Nash tem-no, a começar pela voz. Uma “menina” que cresceu em apenas um ano. E dizer que tudo começou num dia azarado de Fevereiro de 2006! Como diz o ditado: “Há males que vêm por bem…”


Read On 0 (im)Pacientes

.put your hands in the air.

8.8.07
|#| Verão é sinónimo de festivais. Há os que vão, há os que não vão. Há os que já foram e há os que não puderam ir. Apesar de Agosto estar longe de ser um mês de altas temperaturas, no que toca à música as coisas mudam de figura.


Os Blind Zero sobem ao palco do Parque Mártires no Colonialismo, Marinha Grande, domingo, pelas 22h00, para partir a loiça toda. O concerto insere-se nas comemorações do Dia Internacional da Juventude. No mesmo dia e hora, junto ao Mosteiro de Santa Maria da Vitória, Mundo Cão e Cool Hipnoise dão inicio a quatro dias recheados de música. Concertos inseridos nas Festas da Batalha.


Um fim-de-semana em cheio… e grátis (ou à borla).
Read On 0 (im)Pacientes

.lydie carell 4tet.

6.8.07
|#| É leiriense, chama-se Lydie Carell e regressa agora à “sua” cidade para a apresentação pública do novo projecto. Um repertório recheado de novidades, onde a “Canção do Mar” se impõe pela originalidade e beleza.


O pátio do Mercado de Santana recebe na próxima quinta-feira, pelas 21h30, o Lydie Carell 4tet, um quarteto de Jazz formado, para além da vocalista, pelos músicos franceses Stéphane Cochet (piano), Etienne Cauchemez (contrabaixo) e Laurent Paranthöen (bateria e percussão).
Read On 1 (im)Pacientes

.word up.

6.8.07
|#| Digno de um MTV Music Video Award, este videoclip é de se lhe tirar o chapéu (ou a coquilha(!!!)). “Word Up” é um dos temas que celebrizou Cameo, há nada mais nada menos que 21 anos. Só visto…


Read On 1 (im)Pacientes

.(not) everybodys´s changing.

4.8.07

|#| Definitivamente o público português é dos mais entusiastas do mundo. Na noite passada a empatia foi grande entre os Keane e os milhares de fãs que se deslocaram ao Queimódromo do Porto.


“Under The Iron Sea”, o seu último trabalho, foi apresentado de forma exemplar pelo frenético, e simpático, Tom Chaplin, e o imparável Tim Oxley-Rice (piano), perante um público que retribuiu cantando praticamente todas as músicas.


A banda apresentou-se em palco com um conceito inovador, com este a estender-se para o meio do público. “Nothing In My Way”, “Everybody's Changing”, “Somewhere Only We Know”, “Bedshaped” e “Cristal Ball” foram os temas mais aclamados da noite.


O “incrível” público portuense – segundo Tom Chaplin – recebeu os Keane de braços abertos e estes retribuíram. A terminar, ficou a promessa de um regresso à cidade invicta.

Read On 6 (im)Pacientes

.brilliant x2.

1.8.07
|!| Dois apontamentos para o dia de hoje: 1º Há pessoas que simplesmente nascem com um dom natural; 2º Ainda que no decurso da vida alguma coisa corra mal, é tudo uma questão de procurar o referido no ponto anterior.


...finalista em Cannes | ...início de um triunfo

Read On 0 (im)Pacientes

.romance captain.

30.7.07
|#| Há dez anos lançavam-se no mundo da música. “Cão” era o título do seu trabalho de estreia. Dois anos depois, era a vez de “O Mostro Precisa de Amigos”. Manel Cruz (voz), Nuno Prata (baixo), Peixe (guitarra), Kinörm (bateria) e Elísio Donas (teclados), eram mais uma prova de que no Porto nascem muitos e bons poetas. Eram os Ornatos Violeta. A carreira, efémera, não impedia que fosse considerada a melhor banda portuguesa de todos os tempos. Fica a saudade…

Read On 1 (im)Pacientes

.victory pain.

29.7.07

|º| Tarde com cerca de 40º. Jogo sofrido – U. Leiria x Hajduk Kula. Noventa minutos de seca extrema. Um golo nos descontos. Prolongamento com mais quatro, três deles de grande penalidade. Emoção até aos últimos minutos. Quatro a um no final. Leiria na UEFA!
Read On 0 (im)Pacientes

.what a show.

25.7.07
|º| Imagine-se um mix de Cristiano Ronaldo e Ronaldinho. Chama-se Rhain Davis e tem apenas nove anos. A história, recente, conta-se em poucas palavras: um familiar filmou o pequeno craque a jogar; colocou o vídeo na Internet; os olheiros do Manchester United viram-no … e contrataram o pequeno “10”. Para (re)ver aqui.
Read On 1 (im)Pacientes

.nothing in my way.

23.7.07
|#| Os Keane estão de volta ao nosso país para um concerto no dia 3 de Agosto, no Parque da Cidade, Porto. Depois de terem actuado, o ano passado, no Festival Super Bock Super Rock, a banda de Tom Chaplin regressa com o seu mais recente trabalho “Under The Iron Sea”. Se a chuva não aparecer, parece não haver nada que impeça a banda britânica de brindar o público com um bom concerto. Enquanto, isso, aqui fica uma amostra…
Read On 1 (im)Pacientes

.the skin of my yellow country teeth.

22.7.07
|#| Ora ai está uma música (com um título interessante), vindo de uma banda com um nome muito sugestivo: Clap You Hands and Say Yeah! São de Brooklyn - Alec Ounsworth (voz, guitarra), Lee Sargent (teclados), Robbie Guertin (guitarra e teclados), Tyler Sargent (baixo e guitarra) e Sean Greenhalgh (bateria) – e estiveram recentemente entre nós, no SBSR 2007. Para quem gosta da sonoridade dos Arcade Fire e/ou Yo La Tengo, aqui fica a sugestão (não te esqueças de sorrir e no final… aplaudir)…

Read On 0 (im)Pacientes

.quiet town.

21.7.07
|#| “Subtitulo” é o mais recente trabalho do songwriter Josh Rouse que, segundo anuncia no seu site, vem ao nosso país nos dias 26 (Aula Magna, Lisboa) e 27 (Teatro Circo, Braga) de Novembro. Uma oportunidade para os fãs do músico, ou com preferências que passem pela musicalidade de Rufus Wainwright ou Damien Rice, ouvirem, entre outras, “Quiet Town”…

Read On 0 (im)Pacientes

.lights, camera… action.

19.7.07
|| Três estreias cinematográficas em quatro semanas! Para quem não metia os pés numa sala de cinema há uns bons tempos (qual tinha sido mesmo a última película?), é obra.


Fantastic Four: Rise of the Silver Surfer é o típico filme recriado a partir dos quadradinhos. Acção e efeitos especiais para lá de muitos (que até enjoa). “Salvaram-se” o director de fotografia (planos muito bons) e Jessica Alba (pelos atributos físicos).


Shrek: The Third foi, definitivamente, o melhor. Rir do primeiro ao último segundo (mesmo até ao final dos créditos). Graças ao excelente trabalho desenvolvido pela equipa de animadores, que passou horas a fio a procurar o melhor efeito (e que tive a oportunidade de ver no making of), as animações ficaram perfeitas. Ainda que com algumas piadas repetidas, dos filmes anteriores, o terceiro não perde piada nenhuma.


Harry Potter: Order of the Phoenix é mais do mesmo. O pequeno feiticeiro entretanto está mais crescido, tal como os seus amigos. Howards mantem-se no mesmo sitio, tal como a acção e efeitos especiais que não trazem nada de novo. Mais um capitulo para não desanimar a legião de fãs e, assim, fazer “render o peixe”.
Read On 2 (im)Pacientes

.last report.

18.7.07
|#| Sereno e intenso, assim é o som dos The Evpatoria Report. Guitarras, baixo, bateria, violino e teclado compõe esta banda da Suiça, formada em Janeiro de 2002. Lançou o seu primeiro, e único, álbum – Golevka – três anos mais tarde. Enquanto se aguarda por novo trabalho, que se encontra em preparação, aqui fica “Last report”, uma amostra do álbum de 2005. Vale a pena ouvir, sobretudo os fãs de Sigur Rós ;)

Read On 0 (im)Pacientes

.do not forget.

18.7.07
Read On 4 (im)Pacientes

.superstars.

16.7.07
|#| Ora aí está uma amostra do que se pode esperar do novo trabalho de David Fonseca. “Superstars” surpreende pela criatividade, aliás uma característica deste marrazense. Consegue ser ainda um tema muito actual. Vale a pena ver… e ouvir…
Read On 3 (im)Pacientes

.summer @ the city.

13.7.07

|*| “Praça Viva” é uma iniciativa de âmbito cultural, que vai animar algumas praças leirienses, de 14 de Julho a 14 de Setembro. São dois meses de animação, com um leque variado de ofertas. Agenda de espectáculos disponível aqui.
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes

.friends are.

10.7.07
|!| …the ones that always tell us the truth, no matter what.
Read On 3 (im)Pacientes

.one.

9.7.07
Read On 0 (im)Pacientes

.nerdisses.

6.7.07
|@| Dava um bom título a sugestão que ouvi há dias – NERDisses. Tudo porque, depois de terem achado que “ah e tal…” aqui fizeram um bom trabalho, agora querem meter-nos aqui. Whatever…
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes

.manea cu voca.

3.7.07

|#| São os Fanfare Ciocarlia e têm encontro marcado com o público leiriense dia 5, pelas 21h30, no Teatro José Lúcio da Silva. Para quem já viu o “Gato Preto, Gato Branco”, de Emir Koustorika, a sonoridade não será totalmente desconhecida. Ainda assim, aqui fica uma amostra, intitulada “Manea Cu Voca” (seja lá o que isso for):

Read On 0 (im)Pacientes

.champions without trophey.

1.7.07

|º| Marcar primeiro, ter a mão na taça e não ganhar. Foi curto o sonho da Golpilheira, na final da Taça de Portugal de futsal feminino, frente ao Benfica, merecidamente aplaudido no Pavilhão de Almeirim.


Engane-se quem pensa que o futebol é para homens e que nesta modalidade, no feminino, o jogo é só “pontapé para a frente”. Há técnica, cultura táctica… e pulmão. O Benfica, com um andamento claramente superior, é disso exemplo. Alheia não será a conquista da Taça Ibérica e do terceiro lugar na Taça Intercontinental.


No derradeiro jogo, o resultado final foi de 5-2, favorável à equipa encarnada, que teve que suar para levar o caneco para casa. Estranho, ou nem por isso, foram os festejos efusivos da claque golpilheirense no final e que, por momentos, abafou por completo a exuberância da equipa, e claque, vencedora. Os motivos não eram para menos. Se não vejamos:


1. Primeira vez que uma equipa do distrito de Leiria chega tão longe na prova;
2. A equipa viu-se embrulhada num processo disciplinar instaurado pela Federação Portuguesa de Futebol à equipa que devia ter inicialmente defrontado na meia-final;
3. Resolvida a questão enunciada no ponto anterior, cerca de duas semanas depois, e quando já o Benfica tinha garantido o acesso à final, a equipa viu-se obrigada a disputar a meia-final, a duas mãos, frente a um novo adversário e num espaço de três dias;
4. A Golpilheira chega à final, onde realiza o terceiro jogo em sete dias, com consequências, visíveis, na condição física das atletas.


Pelo exposto; porque à partida, mesmo sem estes condicionalismos, já seria um jogo difícil; porque a equipa de arbitragem, sem influenciar o resultado, foi, por vezes, tendenciosa; pelo empenho que, apesar de tudo, demonstraram na final, aqui fica um PARABÉNS GOLPILHEIRA.

Read On 0 (im)Pacientes

.city of delusion.

29.6.07
...@ Muse
Read On 0 (im)Pacientes

.friends & co.

28.6.07
|!| Familiar com cancro ou outra doença rara (x 4) + Crises com relacionamento ou casamento (x 5) = balanço dos últimos dias!!! Haja EPA
Read On 3 (im)Pacientes

.in a little while.

25.6.07

…by U2
Read On 1 (im)Pacientes

.e.p.a.

24.6.07
|!| Esperança. Paciência. Amor. As palavras soam bem, já as atitudes... Os problemas surgem, as pessoas desiludem, a apatia abate-se e a angústia reina. Que futuro? Que sentido para a vida?


Quando somos pequenos, dizem que temos que estudar. Crescemos e a indicações mantêm-se: "agarra-te aos livros se queres ter um bom emprego e ser alguém na vida!" Ter e ser são os verbos que acompanham o ser humano durante as fases mais importantes da vida. Ensinam-nos, desde muito cedo, onde alicerçar a vida. O problema é que o mercado de trabalho está como está e, consequentemente, lá se vai o estatuto. Moral da história, surgem outros problemas, mais profundos, para os quais os petizes, entretanto, homens e mulheres, não foram preparados...


Será, então, a felicidade uma utopia? Enquanto houver EPA, não. É tudo uma questão de cultura e de mentalidades. "Acredito antes [em vez de felicidade] em momentos felizes", ouvia há dias. Isto é possivel, quando alguém se preocupar mais em provocar momentos de felicidade naquele que está ali ao lado. A alegria é dada àquele que dá, através daquele que se alegra porque recebe.
Read On 8 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 2 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes

.wrong way.

15.6.07
|| Alice desabafou no espaço dedicado ao cidadão no portal do Governo. Denunciou a hipótese de a sua empresa ter uma dívida ao fisco. O e-mail que enviou foi parar às mãos da firma onde trabalhava. [@ PortugalDiário]
Read On 1 (im)Pacientes

.quote(s).

14.6.07
|| “Podes fugir, mas não te podes esconder” canta a “doninha”. Uma expressão que tem o mesmo sentido que um dito popular, que diz que tudo o que o Homem faz, nomeadamente à natureza, acaba por ter efeito boomerang.


A postura a ter, ficou ontem anotada: “a tua graça me basta”.
Read On 0 (im)Pacientes

.looking(s).

12.6.07
|!| Fotojornalismo, ou uma forma criativa de comunicar? Fotografia, ou arte de ver a realidade? É o tudo uma questão de olhares…


PS: A pedido de várias famílias, lá se juntou mais um à galeria.
Read On 2 (im)Pacientes

.a portuguesa.

10.6.07
Heróis do mar, nobre povo,
Nação valente e imortal
Levantai hoje de novo
O esplendor de Portugal!
Entre as brumas da memória,
Ó Pátria, sente-se a voz
Dos teus egrégios avós
Que há-de guiar-te à vitória!
Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar
Contra os canhões marchar, marchar!


Desfralda a invicta Bandeira,
À luz viva do teu céu!
Brade a Europa à terra inteira:
Portugal não pereceu
Beija o solo teu, jucundo,
O oceano, a rugir de amor,
E o teu Braço vencedor
Deu mundos novos ao mundo!
Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar
Contra os canhões marchar, marchar!


Saudai o Sol que desponta
Sobre um ridente porvir;
Seja o eco de uma afronta
O sinal de ressurgir.
Raios dessa aurora forte
São como beijos de mãe,
Que nos guardam, nos sustêm,
Contra as injúrias da sorte.
Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar
Contra os canhões marchar, marchar!



Data: 1890 (com alterações de 1957)
Letra: Henrique Lopes de Mendonça
Música: Alfredo Keil
Read On 0 (im)Pacientes

.alcobaça monastery.

8.6.07
|| Trata-se de uma estrutura de planta em cruz latina. A actual fachada é do século XVIII, restando do gótico primitivo o portal de arcos ogivais e o arco da rosácea. A concepção arquitectónica deste monumento, desprovida de decoração e sem imagens, como ordenava a Ordem de Cister, apresenta uma grandiosidade e beleza indiscutíveis. [@ wikipédia]
Read On 3 (im)Pacientes

.blood, revenge & war(s).

7.6.07
|| Pouco antes da Primeira Guerra Mundial, a Rússia tinha a maior população da Europa, com cerca de 350 milhões de habitantes. Defrontava-se também com o maior problema social do continente: a extrema pobreza da população em geral. Enquanto isso, as ideologias liberais e socialistas penetravam no país, desenvolvendo uma consciência de revolta contra os nobres. Entre 1860 e 1914, o número anual de estudantes universitários cresceu de 5000 para 69000, e o número de jornais diários cresceu de 13 para 856. [@ wikipédia]


Read On 0 (im)Pacientes

.chocolate vs sex.

6.6.07
|| Mais da metade das mulheres britânicas preferem comer chocolate a fazer sexo, revelou um estudo da Universidade do País de Gales divulgada esta terça-feira. Já os homens no Reino Unido confessam que, como seria de esperar, preferem acto sexual, em detrimento do chocolate. [@ PortugalDiário]


Das duas uma: ou os britânicos preferem a cerveja e a Premier League, e não dão conta do recado, ou então são fraquinhos!
Read On 1 (im)Pacientes

.beautiful city of mine.

5.6.07

Semana Académica de Leiria 2007
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 1 (im)Pacientes

.(out of) time.

29.5.07
|| Não lamento os homens, os homens refazem-se; não lamento o ouro destes tesouros, os tesouros voltam a encher-se; mas quem restituirá a estes povos os anos que vão passando? (Denis Diderot)

Read On 0 (im)Pacientes

.finally.

27.5.07

Read On 1 (im)Pacientes

.amazing.

26.5.07

|#| Passou o Atlântico (Oceano) para inundar outro Atlântico (Pavilhão). Natural de Charlottesville, Virgínia, a Dave Matthews Band deixou em êxtase os cerca de 18 mil fãs presentes no seu concerto de estreia em Portugal. Duas horas de puro prazer.


Foram poucos os que resistiram sentados ao som de Dave e dos seus seis amigos. Difícil eleger qual o melhor, dada a qualidade de todos eles. Ainda assim, ficaram na retina, para além de Dave, o violinista Boyd Tinsley e o baterista Carter Beauford. Um espanto!


“You are the laudest crowd that we ever eard!”, disse Dave, antes mesmo dos dois encores. “And you are the best band that I ever saw!”, termino eu.
Read On 3 (im)Pacientes

.seek up.

25.5.07

...(1st and 2nd part) by Dave Matthews Band
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 2 (im)Pacientes

.bigmouth strikes again.

20.5.07

...by The Smiths
Read On 2 (im)Pacientes

.everything is fleeting.

18.5.07

|| Considera com frequência a rapidez com que se passam e desaparecem os seres e os acontecimentos. A substância, como um rio, está em perpétuo fluir, as forças em perpétuas mudanças, as causas a modificarem-se de mil maneiras; apenas há aí uma coisa estável; e abre-se-nos aos pés o abismo infinito do passado e do futuro onde tudo se some. Como não há-de ser louco o homem que, neste meio, se incha ou se encrespa ou se lamenta, como se qualquer coisa o tivesse perturbado durante um tempo que se visse, um tempo considerável? (in “Pensamentos”)

Read On 1 (im)Pacientes

.babys & cars.

17.5.07
|!| Uma noticia no mínimo surpreendente e que poderia ter o título: “Compre um carro, faça um filho e ganhe 2000€”. Parece descabido, mas não. Esta é a mais recente iniciativa da Ford, numa clara promoção à natalidade. E esta ein!

A Ford Lusitana lançou um programa original de promoção da natalidade em Portugal. Quem comprar um modelo familiar da marca e tiver um filho nos 24 meses seguintes recebe automaticamente um cheque de dois mil euros, que pode usar como quiser. [in Metro]
Read On 0 (im)Pacientes

.automaticsea robber.

15.5.07
© KATCHUME
|!| E ainda dizem que não há bons actores? São estudantes, trabalhadores, amadores… são o Piratautomático e fizeram a sua estreia. Com pouco tempo para trabalhar, deram forma a “viva, morra, chão e céu fora”. Vestiram a pele das personagens com mestria, ao ponto de formular nova questão: chamam a isto amadores? O Teatro Miguel Franco esgotou e o público aplaudiu de pé. Ontem fui ao teatro. Quero repetir.
Read On 1 (im)Pacientes
Read On 3 (im)Pacientes

.palma(s) para abrunhosa.

12.5.07

© KATCHUME

|#| Começou no feminino, terminou no masculino. Depois de Skye e Sónia Tavares (The Gift), foi a vez de Liquido, Jorge Palma e Pedro Abrunhosa fecharem a Queima 2007. O primeiro tuga subiu ao palco, mas estava “frágil”, devido à notória embriaguez. Ainda assim, acabaria por ser esse mesmo, o tema mais aclamado da noite, bem como “dá-me lume”.


© KATCHUME

Para fechar em grande, Pedro Abrunhosa e os Bandemónio quiseram brindar o público com “se eu fosse um dia o teu olhar”, o tema mais tocante da noite, entre outros mais recentes. Eram 3h30, o frio já apertava, no entanto, o “poeta do norte” não se quis despedir sem antes apelar aos corações portugueses e ao orgulho nacional.
Read On 3 (im)Pacientes

.hope.

9.5.07
|| O fim da esperança é o começo da morte (Charles de Gaulle)
Read On 1 (im)Pacientes

.i know.

7.5.07
|#| Há músicas que entram no ouvido logo à primeira. “Eu sei”, em versão acústica, ao vivo, é um desses exemplos. Qual programa de rádio de discos pedidos, esta vai com dedicatória: para a menina dos caracolinhos...
Read On 2 (im)Pacientes

.easy to know the love show.

5.5.07

© KATCHUME

|#| Definitivamente o amor é o mote para as semanas académicas que se celebram por esse país fora. Depois de “ama”, em Leiria, a “capital” dos estudantes iniciou a Queima das Fitas 2007 da melhor forma, com a simpatia de Skye. A cumplicidade com o público foi notória, com “Love Show” a terminar a performance da ex-vocalista dos Morcheeba.


© KATCHUME

Frenética como sempre, Sónia Tavares começou a “pegar fogo” ao queimodromo já próximo das 2h30. O single “Fácil de Entender”, que dá nome ao último trabalho da banda de Alcobaça, foi o mais aclamado da noite. A decoração “intimista” que apresentaram em palco ajudou a banda a sentir-se (mais) em casa, naquele que foi o regresso a Portugal, depois de uma digressão pelo estrangeiro.
Read On 1 (im)Pacientes

.forgiveness.

4.5.07
|{| Primeiro tema do dia: perdão. Como tudo na vida, deve-se aprender aquilo que não se sabe. A aprendizagem é uma constante e, como diria Rodrigo Guedes de Carvalho, “só um dia poderei ensinar alguma coisa a alguém, se nunca perder a humildade de querer aprender.”


Não é preciso recuar muito, para rever a imagem de uma pessoa... Pele enrugada, gasta pelo tempo, frágil na saúde, mas inundada de simplicidade, humildade e alegria. É uma Luz que brilha aos noventa e picos anos. É, incrivelmente, a alegria dos mais novos. Sem abrir a boca, emana uma paz que impressiona…


“Perdoamos na medida em que amamos”, já dizia François La Rochefoucauld. O importante é ter sempre o espírito aberto à aprendizagem. Seja com dez… vinte… quarenta… noventa anos...
Read On 4 (im)Pacientes

.memories.

2.5.07
[+info]
|¨| Mesmo que uma imagem valha mais que 1000 palavras, a comunicação não se dá na totalidade. Há vozes que não se escutam, há presenças que não se têm, há emoções que não se vivem…
Read On 0 (im)Pacientes

.like a mirror.

1.5.07
|!| Porque hoje se comemora o Dia do Trabalhador; porque nos restantes dias do ano esse – trabalho – pode ser um motivo de distanciamento; porque ainda há tempo…
Read On 1 (im)Pacientes

.it´s all about sal.

26.4.07
|#| Dias cheios de SAL. Desde domingo que é só SAL. Ontem arrebentou, hoje alucinou e a seguir descansou. Amanhã há mais... SAL. Porque o importante é ama(r)…
Read On 1 (im)Pacientes

.live @ leiria.

24.4.07
|#| Esta noite (22h00), na Praça Rodrigues Lobo, em Leiria, Kyoto… the band.
Read On 0 (im)Pacientes

.shining star.

22.4.07
|?| Hoje detive-me perante: “Não me podes perceber porque não és pó da minha estrela…”


Numa tentativa de dissecar o seu sentido (o que não é fácil), comecei por olhar para o pó, que é uma substância que tem a capacidade de envolver as formas. O mesmo é dizer, que nada melhor do que ele para conhecer os seus contornos, texturas, dimensões, variações de temperatura…


O pó das estrelas, também é conhecido pela capacidade de lhes dar brilho.
Read On 3 (im)Pacientes

.“log” generation.

19.4.07
|!| Terminaram as apresentações do English Project. Para uns foi o frete de correr atrás de uma número, de 0 a 20, que vai aparecer na pauta no final do semestre, para outros, foi proveitoso. Temas interessantes, ainda que alguns recorrentes, que permitiram levantar questões, esclarecer dúvidas, fazer alertas…


Curiosamente, as apresentações começaram e terminaram com dois temas relacionados entre si: Internet – Vantagens e Riscos e Blogs, respectivamente. Pelo meio, e reportando-me apenas ao último dia, a história da rádio foi outra das temáticas apresentadas, em inglês.


A rádio teve os seus golden years até surgir a televisão. Esta, por sua vez, teve também os seus golden years, até à chegada da Internet. Actualmente, e dentro deste vasto universo, existem os blogs, vlogs, fotoblogs… enfim, é muito “log”. Em Agosto de 2006 era já 50 milhões em toda a World Wide Web. A definição pouco importa, já que tudo depende do uso e finalidade que os utilizadores lhe dão.


Pessoalmente, não os concebo como diários. É um espaço público, acessível a milhões de cibernautas e, por isso, se não for cada um a preservar a sua própria privacidade/intimidade, quem o fará?


O problema, e este foi um dos tema abordados por quem apresentou as desvantagens/perigos da Internet, foi de que é muito fácil, actualmente, confundir-se reality and cyberspace. Especialmente os miúdos, e não só, que passam demasiado tempo à frente dos computadores. O mesmo é dizer, e citando uma expressão, feliz, de um colega: “the Internet is not a virtual babysitter! Parents must be aware of that!” Onde pára a geração Tom Saywer? …que brincava na rua até tarde, subia às árvores e se sujava?


Ler e escrever (porque faz bem), partilhar gostos musicais (e não só), servir como porte fólio e laboratório multimédia, são alguns motivos para blogar de vez em quando…
Read On 3 (im)Pacientes

.amen omen.

17.4.07
|#| A alma tem voz? É possivel ouvi-la? A resposta...

...by Ben Harper
Read On 0 (im)Pacientes

.give me a call.

16.4.07
|@| Não é novidade para ninguém, no entanto, só nos últimos tempos comecei a explorar as potencialidades deste serviço. A qualidade não é a melhor (culpa da placa de som), no entanto, os valores registados na factura de telemóvel, no final do mês, descem drasticamente. Até já há quem use a nível empresarial. Não me pagam para publicitar, mas… não custa nada: Skype.
Read On 4 (im)Pacientes

.fair play is not “treta”.

12.4.07
|º| Há uns tempos atrás, Jorge Jesus, treinador do Belenenses, proferiu a celebre frase: “o fair play é uma treta”. Provavelmente não terá visto estas imagens:

Read On 1 (im)Pacientes

.this “ghosts” are real.

10.4.07
|#| O poeta está de volta. A noite, o frio e os “sem rosto” que vagueiam pelas ruas… “Quem me guarda os meus fantasmas?”
Read On 0 (im)Pacientes

.expression problems.

9.4.07
[+info]
[clã “live” @ mosteiro da batalha - 14.08.06]


|#| Dona de uma voz única, Manuela Azevedo extravasa energia pelo seu pequeno corpo e enfeitiça com as palavras…
Read On 0 (im)Pacientes

.let down.

6.4.07
|#| Dez anos após Thom Yorke e seus pares reunirem num álbum uma selecção de músicas fabulosas, considerado pela crítica um dos melhores de todos os tempos, recordemos “Ok Computer”…

…by Radiohead
Read On 0 (im)Pacientes

.the rythm thief.

5.4.07

...by Sparks
Read On 0 (im)Pacientes

.dust to dust.

4.4.07
|!| Eis a noticia mais bizarra que li… até hoje:

A coisa mais estranha que tentei snifar? O meu pai. Snifei o meu pai.
Read On 1 (im)Pacientes

.incredible.

3.4.07
Read On 0 (im)Pacientes

.camões vs salazar.

2.4.07
|!| No seguimento do desfecho da votação referente ao Grande Português, uma questão se coloca: Se até então uma das referências à língua vernácula era “língua de Camões”, como será agora? Língua de Salazar, presumo!
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes

.conversa(s) da treta.

1.4.07


«Sócrates volta aos bancos da universidade» in CM

«Guarda-redes leiriense na mira (do Porto)» in Record
Read On 1 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes

.juventude precoce.

29.3.07
|| Numa semana em que o tema “juventude” esteve na base de trabalho, eis que, numa leitura rotineira pela imprensa cá da terra, e com um olhar mais cuidado pelo suplemento produzido pelos meus colegas estudantes, deparei-me com uma entrevista feita a um conhecido psicólogo, e actor, leiriense, João Lázaro.

Encontra alguma explicação para os jovens de hoje serem mais precoces?
Estamos a perder os rituais de passagem. A transição não é feita como dantes, em que existiam rituais que marcavam os nossos direitos e deveres. Não significa que pense que antigamente é que as coisas eram correctas. No campo do amor, por exemplo, existiam “rituais” para se iniciar uma vida amorosa. Antigamente, as pessoas interessavam-se, depois conheciam-se, andavam juntas, começavam a namorar e, passado muito tempo, casavam. Hoje, as pessoas conhecem-se, passado duas horas dizem “amo-te”, depois de mais duas horas vão para a cama e depois terminam e nunca mais se vêem. Isto acontece não pelo facto das pessoas serem más, ou de não saberem o que querem, mas apenas porque não sabem exprimir as suas emoções. Não conhecem palavras para as explicar. Hoje,
falta a utilização de uma palavra, a palavra mais organizada da vida. Não.
Os tempos mudam, as pessoas mudam, as atitudes mudam… Será?! (Entrevista integral aqui).
Read On 2 (im)Pacientes

.even for those who like sweats.

28.3.07

|#| São o Gil (voz), o Marco (guitarra), o Rui (baixo), o “Necas” (bateria) e o Nuno (teclado) e compõem os No Sweat, uma banda leiriense que se qualificou, recentemente, para a 2ª fase do SBSR Preload 2007.


“A ideia surgiu de três elementos, já pertencentes a uma banda de covers, que decidiram juntar-se e criar a sua própria musica”, referem. Não precisam de recuar muito tempo, já que comemoram, no próximo mês de Maio, o seu primeiro aniversário. Por isso, é natural que estejam ainda “em fase de criação”.


As influências enquadram-se no género alternativo. Muse, Dream Theater, Foo Fighters, Queens of The Stone Age e Incubus são disso exemplo. Para ouvi-los mais de perto, nada melhor que uma visita a http://www.myspace.com/nosweat5.
Read On 0 (im)Pacientes

.mnumm mnumm.

25.3.07
Read On 3 (im)Pacientes

.9 crimes.

24.3.07
|#| Damien Rice está de volta com “9”, o seu segundo álbum, que sucede a “O”. Depois de “Delicate”, “The Blower's Daughter”, entre outras, “9 crimes” é o primeiro single, e também a primeira faixa do seu novo trabalho. Damien “godfather of melancholy” Rice e Lisa “golden voice” Hannigan, intepretam o papel de dois cúmplices num “crime” perfeito. Um momento pleno de delicadeza e intimidade...


Read On 1 (im)Pacientes

.doutores & engenheiros.

23.3.07
|!| Numa trivial conversa de café, foi colocada em cima da mesa a recente polémica sobre a formação académica do nosso primeiro-ministro, investigada pelo Público. As atenções centraram-se mais no título pelo qual é vulgarmente conhecido – engenheiro José Sócrates – do que propriamente no seu currículo.


“Porquê chamar-lhe engenheiro, se ele não exerce essas funções enquanto primeiro-ministro?! É como chamar a um formado em medicina “doutor”, quando este é vendedor de automóveis! Ora, essa pessoa não está a exercer medicina!”


É aquilo a que chamaria a “cultura de títulos”. Senhor doutor para aqui, senhor engenheiro para acolá… As pessoas têm nome próprio, ou não?! Enfim, há, no entanto, quem faça mesmo questão. Pessoalmente sou “anti-títulos”. Já fui tratado por “Dr.” e não gostei. Frequentemente oiço “jornalista” e também não acho grande piada, apesar de estar no exercício dessas funções.


Este é um caso generalizado e que começa bem cedo. Quem é que não teve, enquanto petiz, pelo menos uma alcunha? “Quatro-olhos”, “baleia”, “pé-de-vento”, “libelinha”, são alguns “títulos” atribuídos e que substituíam os naturais João, Maria, António, Teresa. “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades” e num mundo cada vez mais global, qualquer diz o número de doutores e engenheiros per capita atinge um valor tal, que ninguém se entende.


Não há nada como as coisas simples e naturais: Pedro (ponto).
Read On 4 (im)Pacientes

.poeta(s) do norte.

23.3.07
|#| No seguimento ainda do último post, e também das “Intimidades” que tenho ouvido com regularidade por estes dias (obrigado a quem teve o bom gosto de as oferecer), deixo aqui uma dessas músicas, devidamente ilustrada com imagens que fazem o dia-a-dia do poeta…
Read On 1 (im)Pacientes

.all about poetry.

21.3.07
Apetece-me fugir
Perseguir o sol
Abraçar as ondas


Apetece-me regressar
Olhar os teus lábios
Tocar o teu cheiro


Apetece-me adormecer
Sonhar com as estrelas
Perder-me na escuridão


Apetece-me acordar
Olhar o céu
E ver nele o teu rosto.


[21 de Março: Dia da Poesia e início da Primavera]
Read On 1 (im)Pacientes
Read On 5 (im)Pacientes

.“v” for vendetta.

15.3.07
|| Baseado na obra de Alan Moore e David Lloyd, esta é a história de uma realidade alternativa que mostra a luta de um vigilante para libertar a Inglaterra da Alemanha, que venceu a Segunda Guerra Mundial. Com algumas cenas a lembrarem o filme Matrix, este é outra obra da 7ª arte cujo director de fotografia merece aplausos.


Read On 0 (im)Pacientes

.made in Portugal.

9.3.07
|#| Porque há poetas, porque há artistas, porque há boa música portuguesa, com certeza: Blind Zero.
Read On 1 (im)Pacientes

.woman.

8.3.07
Read On 0 (im)Pacientes

.onde pára o futebol (espectáculo).

5.3.07

U. Leiria x Sporting (0-0) O que é que eu fiz?! Nem fez o Sporting, nem fez a U. Leiria. Assim terminou um jogo pobre, sem ideias e sonolento.
Read On 1 (im)Pacientes
Read On 1 (im)Pacientes

.see you soon.

1.3.07
|#| «Love Foolosophy» é o rumo que Jamiroquai pretende seguir. Traduzindo por miúdos, Jay Kay vai abandonar os palcos, para «voar no meu helicóptero e tentar encontrar a mulher certa».
Read On 0 (im)Pacientes

.look @ your kids.

28.2.07
|@| Clubismos à parte, estes cerca de 3 minutos de vida de uma criança alemã (a jogar o videojogo de estratégia “Football Manager”), deixam bem claro os malefícios de passar muito tempo em frente a um ecrã de computador.
Read On 0 (im)Pacientes

."time machine" drived by blind zero.

25.2.07
|#| É já amanhã que é lançado o álbum “Time Machine (Memories Undone)”, um registo que assinala os 13 anos de carreira dos Blind Zero e que inclui músicas gravadas durante a digressão acústica realizada pelo país durante o último ano.

Enquanto isso, a letra “The Down Set is Tonight”, um belíssimo dueto de Miguel Guedes e Jorge Palma, retirado do álbum “A Way To Bleed Your Lover”, de 2003.

Secrecy
Life on the wire
Joy in my weakest hour

A gas lit scent on the garden of haze
The excitement from the dawning is leading the way, tonight

I wish to crash, so fire would give me wings
Time flies with me
Mist stardust joins the lust
The down set is tonight

Blow me away
I might undercover my downfall delight
Tonight I’m blowing away

Picture yourself lying on the ground
Licking wounds on glass
I’ll be, tonight
On the edge of the blade
‘Cause I die where safe-standing lives
The down set is tonight

Blow me away
I might undercover my downfall delight
Tonight I’m blowing away
I keep driving
The down set is tonight
To my delight To blow away tonight
Read On 1 (im)Pacientes

.sport @ lis (take three).

24.2.07

|º| O atletismo volta a estar na ordem do dia, com a Taça de Lançamentos da FPA, que se encontra a decorrer no Centro Nacional de Lançamentos, em Leiria.
Read On 0 (im)Pacientes

.and the winners are.

22.2.07

|!| Em resposta ao “Prémio Nacional de Professores”, uma iniciativa do Ministério da Educação, os “alvos” da distinção, já responderam com o “Pirata da Educação 2006”.
Read On 0 (im)Pacientes

.the return.

21.2.07
|?| Após cerca de um mês de ausência, o regresso a um espaço onde “o saber não empata lugar”…
Read On 1 (im)Pacientes

.look @ the ball manuel.

18.2.07

“Olha bola, Manel. Olha bola, Manel...” (18.02.07 @ Marrazes x Gaeirense (5-1))
Read On 0 (im)Pacientes

.sport @ lis (take two).

17.2.07

IPL x Juve Lis um dos jogos do I Mini-Torneio de Andebol Feminino do IPL

|º| Campeões distritais e atletas na Selecção Nacional. É este o destaque desportivo da semana, com o andebol a ser novamente a modalidade em evidência. Ainda nesta modalidade, um pequeno registo para o I Mini-Torneio de Andebol Feminino do IPL.
Read On 0 (im)Pacientes

.@ 2007.

16.2.07
|!| Para este (novo) ano, penso eu de que…

Blogs
Engraçado este “desafio” vir de quem me passou o vírus da blogosfera! Está quase a fazer dois anos que fui infectado! Desde então, que tenho criado alguns – ver blogfólio – e passado o vírus a outras pessoas que, tal como eu, também pedem dicas quando entram no mundo da blogosfera. Para este ano, não tenho nenhum projecto em especial. No entanto, amanhã, ou ainda hoje, pode sempre surgir uma boa ideia. Enquanto isso, vou-me mantendo por aqui…

Pessoal
Como dizia Fernando Pessoa: “Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida”. É assim que pretendo encarar cada 24 horas da minha existência. Neste momento está a atravessar um bom período, que resumo a “aprender a viver”. Aprende-se a andar, andando; a comer, comendo; a sorrir, sorrindo; a viver, vivendo…

Formação
Esta parte não posso dissociar da anterior, já que estão directamente ligadas. Como dizia há dias o jornalista Rodrigo Guedes de Carvalho, “só poderei um dia ensinar alguma coisa a alguém, se nunca perder a humildade de querer aprender”. É essa aposta que estou a fazer – licenciatura em Comunicação Social e Educação Multimédia – e, graças a Deus, está a correr bem. Também sou autodidacta e, dizem, “fértil em ideias”. Vamos lá ver o que o futuro reserva…

Projectos Web
É uma das áreas onde quero apostar. Porque tem futuro (e esse futuro já é hoje) e, acima de tudo, porque me fascinam as suas potencialidades. Para já, vou andar com alguma regularidade por aqui e aqui.

Fui convocado pelo Paulo Adriano e, agora, aqui ficam as próximas cinco pessoas chamados a darem continuidade à corrente :P
Ângela Duarte
Cristina Duarte
Joana Ferreira
Jorge Bastos
Nádia Vala
Read On 3 (im)Pacientes

(im)Pacientes


Marcas

Vitaminómetro

Histórico

Vitaminodependentes

+Vitaminas