vitamina K
Prescrita para todos os sexos e idades, pode tomar-se a qualquer hora do dia.
Não lhe são conhecidos efeitos secundários.

.pirata do ar.

30.1.06
Read On 0 (im)Pacientes

.hoje o povo saiu à rua.

29.1.06

|!| Consequências do manto branco que cobriu o nosso país, muitos foram os portugueses que hoje saíram à rua. Apesar do “tremer de dente” que se tem registado nos últimos tempos, devidos às baixas temperaturas que se tem feito sentir, hoje esse incomodo ficou para segundo plano.

A alegria manifestada por pequenos e graúdos não era para menos. Afinal, em alguns casos, foi uma situação inédita. Fica registado um momento de rara beleza, que natureza resolveu proporcionar e que embelezou este domingo.
Read On 0 (im)Pacientes

.gmail já era.

28.1.06
|TECNOLOGIA| Para quem pensa que ter cerca de 2.5 Gigabytes (2.500MB) de espaço numa conta Gmail é muito, imaginem-se com 1 Terabyte!

Sim, é isso, são só 1.083.984MB... o equivalenete a cerca de 450 contas Gmail!
Read On 0 (im)Pacientes

.nulos.

27.1.06
Dos cinco milhões e meio de cidadãos que exerceram, no passado domingo, o seu direito de voto, quarenta e cinco mil e quinhentos votaram nulo.

Surgem, no entanto, alguns casos curiosos. Desde José Mourinho, treinador da equipa de futebol do Chelsea, passando pelo SLB (Sport Lisboa e Benfica) e pelo Zé do Telhado (que roubava aos ricos para dar aos pobres), foram estes alguns dos “candidatos de última hora” que os responsáveis pelas mesas de voto tiveram que “contabilizar”.
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes

.garantias na hora do infortúnio.

25.1.06
|SOCIEDADE| O Fundo de Acidentes de Trabalho (FAT) acaba de obter a certificação, pela Associação Portuguesa de Certificação (APCER), do Sistema de Gestão da Qualidade, conforme a norma NP EN ISO 9001:2000.

O FAT, gerido pelo Instituto de Seguros de Portugal, visa garantir:
- O pagamento das indemnizações que forem devidas por acidentes de trabalho sempre que, por motivo de incapacidade económica objectivamente caracterizada em processo judicial de falência ou processo equivalente, ou processo de recuperação de empresa, ou por motivo de ausência, desaparecimento ou impossibilidade de identificação, não possam ser pagas pela entidade responsável;
- O pagamento dos prémios de seguro de acidentes de trabalho, requerido pelo gestor das empresas, que no âmbito de um processo de recuperação se encontrem impossibilitadas para o fazer;
- O reembolso às empresas de seguros dos montantes relativos às actualizações das pensões;
- A colocação e o resseguro dos riscos recusados de acidentes de trabalho.

A implementação do Sistema de Gestão da Qualidade no Fundo de Acidentes de Trabalho, reflecte a preocupação na definição e implementação de um conjunto de processos, metodologias e métricas, que assegurem elevados padrões de qualidade, eficiência e melhoria contínua do funcionamento interno e da qualidade dos serviços prestados.

Nesse sentido, o FAT estabelece como Política da Qualidade os seguintes princípios fundamentais:
- Cumprimento da legislação e regulamentação aplicáveis;
- Elevada competência técnica e celeridade processual;
- Cumprimento dos requisitos aplicáveis e melhoria contínua da eficácia do Sistema de Gestão da Qualidade, através de revisões periódicas do mesmo;
- Consolidação de uma imagem institucional de rigor.
Read On 1 (im)Pacientes

.podcasting.

25.1.06
|TECNOLOGIA| Com o boom dos Blogs, e com os cada vez mais aderentes da Blogosfera, aqui e ali vão surgindo novas aplicações e/ou “familiares” deste fenómeno. Uma delas é o Podcasting.

Se até há alguns meses atrás, cada um poderia dar largas à sua imaginação fazendo dos Blogs um diário, um espaço publicitário e/ou informativo, com o Podcasting passa-se para outro nível.

Sempre na vanguarda da tecnologia a Apple foi, mais uma vez, o cérebro deste novo “prodígio”, que só agora está a chegar até nós. O que é então o Podcasting?

Também se pode chamar de WeBlog Audio, porque, afinal de contas, é disso que se trata. Enquanto que actualmente os bloggers tem que “bater texto” para verem as suas divagações publicadas na World Wide Web, agora podem fazê-lo exclusivamente em formato áudio, ou seja, ter o seu próprio programa de rádio, playlist, recitação de poemas… tudo na Internet.

Entretanto, e numa rápida pesquisa, encontrei um software, alternativo, para quem não tem o iTunes. Chama-se Juice e diga-se que é um acérrimo concorrente da aplicação da Apple, pelo menos a avaliar pelo slogan escolhido:

New name, same freshness:
We squeezed “iPodder” out of our name.

What’s left is... pure Juice.

Podcasting, fixa este nome!
Read On 2 (im)Pacientes

.jazz num dia de sonho.

24.1.06
Dia 27, sexta-feira, 21h30 – Teatro Municipal de Faro|CULTURA| Depois do êxito alcançado com Tributo a Bessie Smith, Jacinta vai estar no Teatro Municipal de Faro e apresentar o seu novo trabalho Daydream, com o qual a cantora espera “abrir portas na Europa, porque é um disco de jazz puro e duro, ao contrário do anterior, que era mais de crossover”.

Gravado em Nova Iorque, sob a direcção do saxofonista Greg Osby, integra cinco temas de Duke Ellington com letras em português de Tiago Torres da Silva; um tema de Thelonious Monk, “Ask Me”, na sua versão original (já que a viúva do célebre pianista não autorizou a tradução da letra); duas canções brasileiras “Luísa” de Tom Jobim e “Jogral” de Djavan; “Canção de Embalar” de José Afonso (um tema escolhido por Jacinta a pedido de Greg Osby, que insistiu com Jacinta para que incluísse no disco uma canção de embalar famosa em Portugal).
Read On 0 (im)Pacientes

.no comment.

23.1.06
In DESTAK (12/12/05, edição Lisboa)
Read On 120 (im)Pacientes

.memo do (novo) presidente.

22.1.06
|POLITICA| Na hora de “cantar vitória”, aqui fica um (memo)rando, mais um, para o novo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

Apesar de na campanha eleitoral as promessas não terem sido muito objectivas, aqui ficam excertos do discurso de Cavaco Silva, aquando da apresentação da sua candidatura à Presidência da República, em Outubro passado.

«Estou firmemente convencido de que, se for eleito, posso contribuir para a melhoria do clima de confiança, para o reforço da credibilidade e para vencer a situação muito difícil em que o nosso País se encontra. Posso ajudar a construir um futuro melhor para os Portugueses.

É hoje generalizado o reconhecimento de que Portugal vive numa fase difícil, que se prolonga há vários anos, em particular no domínio do desenvolvimento económico e social. Nota-se nas populações um forte sentimento de descrença e de pessimismo».

«Não podemos resignar-nos a esta situação. Eu não me resigno. Temos de restabelecer a confiança, mobilizar as energias nacionais e reencontrar o caminho do desenvolvimento equitativo. Sei que isso é possível. As capacidades dos portugueses, já demonstradas noutras ocasiões, são uma garantia de que podemos vencer.»

«Penso que posso fazê-lo (ajudar o País e os portugueses), principalmente por quatro razões.

Primeiro, pelo conhecimento que tenho da realidade portuguesa e pela reflexão que, ao longo dos últimos anos, tenho vindo a fazer sobre a razão das dificuldades que atravessamos.

Segundo, pelo conhecimento que tenho do quadro internacional em que Portugal se insere e pela análise que tenho vindo a fazer das suas implicações para o nosso desenvolvimento e criação de emprego.

Terceiro, pela experiência e conhecimento da vida política nacional e internacional que acumulei durante os anos em que tive a responsabilidade pela chefia do governo. Conheço bem as dificuldades que se colocam a qualquer governo em tempos de mudança como aqueles que vivemos.

Quarto, pela vontade que me anima e pela responsabilidade que sinto de fazer tudo o que estiver ao meu alcance para que as gerações mais novas, os nossos jovens, recebam, não uma pesada herança que lhes dificulte a vida, mas sim uma janela de oportunidades de progresso. O que me importa não é o passado, é o futuro, o nosso e o dos nossos filhos».

«Não me candidato contra ninguém. Candidato-me para ajudar o País a vencer as dificuldades em que está mergulhado e construir um futuro melhor. O meu compromisso é exclusivamente com Portugal, com o bem dos Portugueses, de todos os Portugueses. Sei que Portugal pode vencer».
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes

.essências da vida.

19.1.06
|!| Há uns tempos que tinha “arrumado na estante”, porque não sou muito dado a leituras, um livro que começara a ler – O valor divino do humano.

Uma conclusão imediata poderá ser a de que o autor roça a dureza das palavras. É verdade. Mas não deixam de ser relatos de um homem vivido, experiente. Sobretudo um “português atípico”, isto porque encara todas as etapas da vida, por mais rudes e difíceis que sejam, com uma dose imensa de esperança e firmeza.

Foi sobre este último “dom” que me detive no último folhear de páginas. Recordando-me das palavras de Bento XVI, na última Jornada Mundial da Juventude, em Agosto passado, em Colónia, li algo neste sentido:

«Que a firmeza seja o ar que respiras, porque além de ser a seiva da vida, cura a anemia do espírito».
Read On 0 (im)Pacientes

.paras tu ou paro eu.

18.1.06
|!| A rivalidade entre Benfica e Porto vem desde o século passado, mas a última é, muito provavelmente, mais uma “guerra ridícula”.

Pinto da Costa disse que “o Porto não contrata jogadores que faltem aos treinos, para pressionarem a saída”. Por sua vez, Luís Filipe Vieira recordou o caso de César Peixoto, actualmente no Dragão, ou seja, o Porto realmente não contrata jogadores em litigio… já contratou. Os “altos comandos do norte” não tardaram em atirar mais umas achas para a fogueira, insinuando que isso terá acontecido com as contratações de Moretto e Fonte ao Vitória de Setúbal.

Por este andar, acrescento eu, vão continuar a fazer acusações relativamente a “erros do passado”, em uma e outra equipa, até que se chegue ao ano de fundação. Aí, o primeiro a chegar pára… ou não. Pela saúde do futebol e do desporto, parem de uma vez meus senhores. Parecem dois putos mimados!
Read On 0 (im)Pacientes

.o ano da retoma.

18.1.06
|!| Uma das primeiras medidas a tomar sempre que se entra num novo ano, é consultar o calendário e verificar em que dias da semana se distribuem os vários feriados anuais. Para quem ainda não fez essa “operação” aqui fica:

28 de Fevereiro - Entrudo (terça-feira)*
14 de Abril - Sexta-feira Santa (sexta-feira)*
25 de Abril - Dia da Liberdade (terça-feira)**
1 de Maio - Dia do Trabalhador (segunda-feira)*
13 de Junho - Só para Lisboa e Vila Real (terça-feira)**
15 de Junho - Dia do Corpo de Deus (quinta-feira)**
15 de Agosto - Assunção de Nossa (terça-feira)**
5 de Outubro - Implantação da República (quinta-feira)**
1 de Novembro - Dia de Todos-os-Santos (quarta-feira)***
1 de Dezembro - Restauração da Independência (sexta-feira)*
8 de Dezembro - Imaculada Conceição (sexta-feira)*
25 de Dezembro - Natal (segunda-feira)*

(*) - Fim-de-semana prolongado
(**) - Ponte, logo, (*)
(***) - Baixa, logo, (**) e (*)

Ah, o dia 1 de Janeiro de 2007 é a uma segunda-feira… mas é só para o ano :)
Read On 0 (im)Pacientes

.diz o senhor director do IPS.

16.1.06
|SOCIEDADE| Recentemente, recebi, por o email, um “alerta” vindo de uma pessoa amiga que trabalha no Instituto Português de Oncologia (Coimbra), no sentido de esclarecer o conteúdos dos habituais “pedidos de ajuda”. Hoje, foi a vez do director do Instituto Português do Sangue, José d´Almeida Gonçalves. Apesar de não subscrever, na totalidade, o seu “comunicado, aqui fica mais um esclarecimento de quem sabe como as coisas funcionam.

«A Senhora é mais uma das pessoas de boa-fé que está a ser enganada por “gente” sem escrúpulos e que brincam com coisas muito sérias. Lançam na rede dos e-mails um pedido FALSO, feito ao jeito de “cortar-o-coração-do-menos-sensível”, provavelmente para se deliciarem com a rápida “bola-de-neve” que um apelo destes origina e o envolvimento de tanta gente a querer acudir por natural solidariedade humana.

Todos os e-mails a pedir sangue são FALSOS; são produzidos e libertados em anonimato, dando referências FALSAS (por exemplo: telemóveis com números não atribuídos ou inactivos, direcções que não existem, nomes falsos, doentes que nunca existiram, em hospitais que nunca os tiveram. etc.). E este, neste caso, não tem referências: nome? Família? Hospital? O número de telefone, ali indicado, está inactivo. Trata-se deste caso como?

UMA PRAGA!!! UMA BRINCADEIRA DE MUITO MAU GOSTO!!!

O Instituto Português do Sangue tem toda a responsabilidade de conseguir os componentes sanguíneos para os doentes e traumatizados, que daqueles precisam. E tem reservas de sangue para isso. E quando não, tem mecanismos de encontrar e alcançar esse sangue na Rede Nacional de Transfusão de Sangue. Não se pede sangue à toa por e-mail. Temos, felizmente, organização nacional bastante para suprirmos dificuldades momentâneas.

De resto o grupo de sangue B Rh-, nem é tão difícil, assim, de conseguir e um bébé só consome pequenas quantidades, de cada vez, de uma unidade de sangue dada por um dador, em função do seu próprio tamanho. Desculpe a extensão deste texto e peço a V. Exa. que, dentro do que lhe for possível, contrarie e informe os incautos, que caem de bom coração nesta iniciativa.

Com os melhores cumprimentos,
José d´Almeida Gonçalves,
(Director Instituto Português do Sangue)»
Read On 0 (im)Pacientes
Read On 0 (im)Pacientes

.procriação medicamente assistida.

12.1.06

|ECLESIAL| Numa altura em que este é um dos temas em debate, aqui fica a nota que a Conferência Episcopal Portuguesa emitiu, na conclusão de um encontro realizado na passada terça-feira, em Fátima, e difundida ontem.

«O Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa, reunido a 10 de Janeiro de 2006, em Fátima, tomando conhecimento de um debate parlamentar relativo ao projecto de Lei que regulará a procriação medicamente assistida, decidiu manifestar a sua posição.

Reconhecendo o anseio sério de muitos casais em solucionar o seu problema de infertilidade ou de esterilidade, após impossibilidade de recurso a outros meios, bem como acolhendo a necessidade de uma lei que regule e estabeleça as fronteiras entre o cientificamente possível e o eticamente aceitável, consideramos, pelo serviço à dignidade da pessoa humana a que nos obrigamos, que este método deve atender ao direito da criança que irá nascer, como fim em si mesma e não resultado de um direito paterno ou materno sem limites.

Para além das exigências morais que recomendamos aos cristãos, julgamos ser nosso dever alertar a sociedade para alguns limites que a futura lei não deveria ultrapassar, a saber:

1. As técnicas de Procriação medicamente assistida devem ser reservadas a casais heterosexuais, para assegurar o dever ético de oferecer ao novo ser um homem como pai e uma mulher como mãe. Não admita o recurso a gâmetas fora do casal em virtude da grave dissociação entre paternidade genética e social.

2. Não considere aceitável o recurso a mães portadoras porque atinge a interacção profunda entre a criança e a mãe e porque experiências noutros países têm gerado muitas situações intoleráveis de conflito entre os pais biológicos e a mãe portadora, com enorme prejuízo para a criança a gerar.

3. Sendo o embrião uma vida humana dotada de dignidade, as técnicas usadas devem evitar a existência de embriões excedentários, mesmo destinados a uma segunda gravidez do casal. De nenhum modo estes embriões sejam utilizados para a investigação, enquanto vivos».
Read On 0 (im)Pacientes

.interpretações.

10.1.06
| :) | Um advogado ia distraído a conduzir quando, num sinal STOP, passa sem parar, mesmo em frente a uma brigada da GNR. É imediatamente mandado parar e, numa atitude perfeita de chico-esperto, pensa logo numa forma de se safar.

Agente – Boa tarde. Documentos se faz favor.
Advogado – Mas porquê, Sr. Agente?
Agente – Não parou no sinal de STOP ali atrás.
Advogado – Eu abrandei, e como não vinha ninguém...
Agente – Exacto. Documentos se faz favor.
Advogado – Mas qual é a diferença entre abrandar e ter de parar?
Agente – A diferença é que a lei diz que num sinal de STOP deve parar completamente a viatura. Documentos se faz favor.
Advogado – Ouça proponho-lhe o seguinte: se conseguir me explicar a diferença legal entre abrandar e parar eu dou-lhe os documento e pode multar-me. Senão deixa-me ir sem multa.
Agente – Muito bem, aceito. Pode fazer o favor de sair da viatura?

O Advogado acede e é então que o Agente retira o seu cacetete e desata a desancá-lo violentamente como mandam as regras. E vai dizendo:
- Quer que eu PARE ou que ABRANDE?
Read On 0 (im)Pacientes

.eu estou aqui.

6.1.06
|POLITICA| Assim pode dizer o “6º” candidato à Presidência da República que, neste período de campanha, tem sido alvo de alguma “descriminação”, sobretudo por parte dos principais órgãos de comunicação social. Refiro-me a Garcia Pereira.

Sem querer fazer qualquer tipo de defesa partidária, apenas deixo o “reparo”, uma vez que a legitimidade deste candidato é a mesma que a de Cavaco Silva, Francisco Louçã, Jerónimo de Sousa, Manuel Alegre e Mário Soares. Afinal, vivemos ou não num país democrático?
«Carta ao Presidente da República, à Comissão Nacional de Eleições, e Alta Autoridade para a Comunicação Social

Exmo. Senhor Presidente:
O escândalo da discriminação continua!

Face à iminência da apresentação da minha candidatura a SIC pretendeu disfarçar o seu silenciamento endereçando-me um verdadeiro convite envenenado, com apenas 24 horas de antecedência e para uma breve entrevista (apenas) na SIC Notícias, no mesmo dia e à mesma hora que a RTP transmitia o último dos discriminatórios “debates a dois” e a TVI emitia o último e muito aguardado episódio de uma conhecida telenovela. Depois, a propósito da apresentação formal da candidatura encomendou um breve e superficial serviço de imagem à Lusa TV, do mesmo passo que relativamente a uma outra candidata realizou – e muito bem – uma longa e completa reportagem sobre esse dia, acompanhando a mesma candidata desde o
início do dia.

Agora, que a minha candidatura foi entregue, formalizada e recebida pelo Tribunal Constitucional, a RTP – que anteriormente e perante a passividade de V/ Ex.ª realizou grandes entrevistas, de cerca de uma hora de duração, com cada um de apenas cinco dos candidatos, com a minha tão ostensiva quanto ilegal e discriminatória exclusão – veio agora com um “convite” para … uma minúscula entrevista de apenas oito minutos no decurso do telejornal, entrevista essa a realizar com todos os candidatos e pela ordem do boletim de voto!?

Ou seja: depois de se ter demonstrado que afinal sempre houve um candidato que foi ilegal e inconstitucionalmente afastado dos debates e entrevistas, agora, em vez de reparar semelhante escândalo, trata-se de o agravar ainda mais pela realização não apenas de minúsculas entrevistas mas também que abrangem igualmente aqueles que anteriormente já foram, ilegítima e escandalosamente beneficiados!

Pois não é óbvio que, depois de imposta a desigualdade e assim manipulada grosseiramente a opinião pública e a formação da vontade colectiva – de forma impune sob o pretexto de que ainda não havia candidaturas formalizadas – agora se finge respeitar a igualdade de tratamento nada ou quase nada fazendo, e invocando-se que esse “nada” é igual para todos?!...

É este o conceito de V/ Ex.ª de “igualdade de oportunidades e de tratamento das diversas candidaturas”?

E V/ Ex.as, agora qual é a desculpa esfarrapada que irão invocar para não denunciar e mesmo tratar de pôr cobro a este desaforo anti-democrático?

Ou vão, de vez, deixar clara a sua cumplicidade com esta verdadeira “ditadura de maiorias”?

Basta de aviltamento da Democracia!

Com os melhores cumprimentos,
António Garcia Pereira»
Read On 0 (im)Pacientes

.mesmo assim.

5.1.06
|SOCIEDADE| Ainda na sequência da famosa nomeação de uma assessora para a «manutenção dos conteúdos da página oficial do Ministério da Justiça», e que aufere a módica quantia de 3.254,00€ mensais, “Mano Pedro” comentou o seguinte no blog verbo jurídico:
«A propósito de contenção na despesa pública e do despacho do Sr. Ministro da Justiça que nomeou uma assessora para manter o site do MJ, cumpre dizer que, se estivéssemos num país a sério, o Sr. Ministro, no mínimo, arriscava-se a ser chamado à pedra por forte suspeita de delapidação de dinheiros públicos.

Vejamos:
O Ministério da Justiça tem uma coisa chamada ITIJ (Instituto das Tecnologias de Informação na Justiça). Ocupa um edifício de 7 ou 8 pisos. Trabalham lá mais de cento e tal almas, a grande maioria delas, supostamente, especialistas na área da informática.

Tem um organigrama cuja dimensão pede meças aos gigantes da informática, tipo IBM, Microsoft, Oracle e outras. Aquilo tudo fica ao Estado, que é como quem diz, ao nosso bolso, em muitas dezenas ou centenas de milhares de contos por mês.

Então (e aqui até estou a dar um grito capaz de acordar a vizinhança) naquela mastodôntica estrutura de tecnologia informática não haverá um raio de uma alminha, uma só que seja, que saiba o suficiente de web sites para dar uma mãozinha na manutenção de um site tão indigente como o do MJ, sem se gastar nem mais um tostão?

Foi preciso contratar uma assessora a quem pagam mais de 600 contos por mês só para "manter" o site? Para que raio serve o ITIJ se não for para coisas básicas e comezinhas como manter um site do próprio Ministério de que depende?

Isto é gravíssimo e a solução só pode ser uma de duas: ou o Ministro emenda a mão, demite a assessora e incumbe o ITIJ de manter o site, visto que é quem tem o dever legal de o fazer, ou então extingue o ITIJ imediatamente posto que parece não servir para coisíssima nenhuma, nem mesmo para executar uma tarefa tão básica como seja manter um simples site como o do MJ – coisa que qualquer estudanteco de informática estaria disposto a fazer à borla só para manter o treino e fazer currículo... As duas coisas – a assessora (salvo seja, que nada tenho contra a senhora) e o ITIJ – é que não podem continuar!

É uma V E R G O N H A!»
É certo que o papel desta assessora passará também pela supervisão dos conteúdos, isto é, corrigir eventuais erros que surjam nos documentos que sejam para colocar online. O mesmo será dizer que tem que ter formação jurídica para tal, mas ainda assim… 3.254,00€?! A título comparativo, saiba-se que o «salário ilíquido de um Juiz do Tribunal de 1.ª Instância (em início de carreira) é no valor de 2.355,87€, portanto inferior ao salário da dita assessora, que não tem, designadamente, nem a responsabilidade funcional, nem o risco, nem as restrições pessoais e estatutárias, de exclusividade, obrigação de residência e restrição de ausência da área de circunscrição, a que todos os Juízes estão sujeitos».
Read On 0 (im)Pacientes

.pare . escute . olhe.

4.1.06
|SOCIEDADE| Foram inaugurados ontem, dia 3, os radares de controlo de velocidade, em todas as vias verde. O mesmo será dizer: MUITO CUIDADO!

O limite de velocidade é de 60 km/h, ou seja, em caso de infracção, além dos 150 euros de multa, a DGV faz o obséquio de retirar a carta de conduçao ao prevaricador.
Read On 0 (im)Pacientes

.uma questão de cafeína.

2.1.06
.bica curta ou cheia?.
|!| “Qual o café mais forte? O curto ou o cheio?” Em resposta a esta questão a Delta Cafés (passo a publicidade), teve a amabilidade de proceder a alguns esclarecimentos:

Bica “curta”
Volume total: ± 25 cc
Conteúdo de cafeína: 87,0 mg

Bica “normal”
Volume total: ± 35 cc
Conteúdo de cafeína: 94,5 mg

Bica “cheia”
Volume total: ± 45 cc
Conteúdo de cafeína: 98,1 mg

Sendo assim, podemos concluir que um café expresso (vulgar “bica”), resulta da pressão a que a água atravessa as partículas de café moído e da consequente emulsão que essa pressão origina, das substâncias gordas do café – os óleos aromáticos e os colóides, o que caracteriza e distingue esta bebida das restantes pela sua densidade, creme, corpo e sabor persistente na boca.

Reconhece-se um bom expresso pela cor e textura do creme à superfície, o qual deverá ser levemente acastanhado (cor avelã) e com ligeiras nuances mais escuras no centro e sem "Bolhas". A sua espessura deverá ser de 3 a 4mm e consegue-se analisar essa espessura se ao deitarmos açúcar na bebida, o creme consiga sustentar durante poucos segundos essa quantidade de açúcar, indo-se depositando no fundo da chávena de forma gradual.
Read On 1 (im)Pacientes

.a paz como cenário.

1.1.06
|ECLESIAL| Ano após ano a paz é o tema em foco no dia 1 de Janeiro. Hoje, na celebração da missa de Ano Novo e do Dia Mundial da Paz, na Basílica de S. Pedro, o Papa Bento XVI apelou à união pela paz.

O Sumo Pontífice alertou que «o terrorismo, o niilismo e o fundamentalismo fanático» ameaçam a paz e apelou para que indivíduos, governos e organizações, como a ONU, trabalhem em conjunto para os combater.

Em Portugal, das presidências, passando pelo aumento dos preços do tabaco, gasolina, electricidade, pão, entre outros, o clima de tensão vai-se adensando num país que vive um período não muito áureo.

Como resposta a estes acontecimentos que se dão na sociedade, e na vida de cada um em particular, a Igreja, sempre atenta, deixa no arranque de mais um ano uma palavra de esperança para os mais acabrunhados. Lê aqui.
Read On 0 (im)Pacientes

(im)Pacientes


Marcas

Vitaminómetro

Vitaminodependentes

+Vitaminas